“Quero um abraço!”

 

Sinopse

“Às vezes não vos apetece mesmo um abraço apertado? Ao Filipe, o pequeno cacto, é isto que lhe apetece todos os dias. Mas a ilustre família Cacto não gosta nada de abracinhos e despreza qualquer tipo de manifestação de afecto. Apesar do caso espinhoso, o Filipe não desiste. Um dia, decide partir em busca de carinho e amizade. E, quem sabe, do seu merecido abraço…”

 

 

 

Quero um Abraço! Às vezes não vos apetece mesmo um abraço apertado? Nestes tempos de Covid-19 em que os afetos são contidos por um imperativo de saúde, através da imaginação “aconchegamos” o coração dos mais pequenos. Este livro foi mais uma vez apresentado aos meus alunos de segundo ano. E mais uma vez comprovei o poder positivo da literatura no desenvolvimento socioemocional das crianças.

Ao Filipe, o pequeno cacto, apetece-lhe todos uns dias um abraço. Mas a ilustre família Cacto não gosta nada de abracinhos e despreza qualquer tipo de manifestação de afecto. Apesar do caso espinhoso, o Filipe não desiste. Um dia, decide partir em busca de carinho e amizade. E, quem sabe, do seu merecido abraço… Uma ternurenta história, que irá derreter até os corações mais empedernidos!

 

Um livro escrito por Simona Ciraolo autora de O Rosto da Avó. Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para Educação Pré-Escolar.

Ver:

 

 

Algumas reflexões:

A Orfeu Negro sob a chancela Orfeu Mini tem sido uma das editoras a que é impossível resistir quando edita um livro, seja original ou traduzido como é o caso de Quero um Abraço da italiana Simona Ciraolo.

O Filipe, um pequeno e solitário cacto descendia de uma família antiga e ilustre, que gostava de parecer bem e que era sempre muito certinha. ao contrário da família de Filipe a nossa é uma família de abraços e de poucos beijos. Os abraços são mais físicos e mais sentidos do que os beijos. vulgarmente as pessoas despedem-se com um abraço como um cumprimento cordial, mas eu não falo do abraço da “pancadinha nas costas”, mas sim daqueles que damos para dizer o quanto GOSTO DE TI, seja ele a um filho, a um familiar ou a um amigo.

“Abraçar é quase um virar do avesso”, é preciso um à vontade, e um carinho imenso. abraçar é um ato intenso de quem quer mostrar esse amor pelo outro, ao contrário do beijo que se torna fácil. Não é um caminho fácil para Filipe que aos poucos aprende a gostar de estar sozinho. fechando-se na sua casa e em si próprio. Até que um dia a sua solidão cruza-se com outra solidão e percebemos que existem pessoas especiais a quem os abraços fazem sentido. sim, já estou cheia de saudades dos teus braços

 

Este meu post é dedicado aos meus alunos a propósito de uma conversa que tivemos há dias sobre os sentimentos e as emoções e a necessidade de exteriorizarmos as nossas emoções positivas.

 

Um abraço!

Boas leituras! 

 

 

(Visited 205 times, 1 visits today)

Sem comentários ainda.

Deixar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *