Recadinhos para os Pais

Recadinhos para os Pais (do 1º ano de escolaridade e não só…)

Os seus filhos não precisam de pais extraordinários, mas de seres humanos que falem a sua linguagem e sejam capazes de penetrar no seu coração.

Cury, 2006

 

 

1. Adotar uma boa postura corporal

A forma como o seu filho se senta para a realização dos trabalhos de casa ou no momento de estudo pode ajudar ou atrapalhar. No chão, no sofá ou na cama, não se sentirá bem. Prefira que se sente numa cadeira adequada à mesa, com o cotovelo à altura do tampo. Se os pés não alcançarem o chão, providencie um apoio.

 

2. Preparar o material

Parar de estudar para ir buscar o lápis ou o livro que faltam não é bom! É essencial confirmar se tem o material necessário antes de iniciar o estudo. As interrupções poderão causar dispersão.

 

3. Fomentar a organização

Veja quais os trabalhos de casa do seu filho e qual a data de entrega. Ajude-o a organizar o tempo e evite que acumule tarefas. Mais vale estudar meia hora por dia do que fazê-lo duas horas no dia anterior ao teste. Isto é especialmente importante para matérias cujo estudo se torna desagradável e desmotivador e cuja compreensão e memorização necessitam de tempo para serem consolidadas.

 

4. Combinar regras para os momentos de estudo

Converse com o seu filho e combine com ele rotinas para o momento do estudo: onde será feito e em que horário, quanto tempo durará, quais serão os momentos de pausa, etc. Defina práticas para que a criança saiba quando deve fazer os trabalhos de casa, concluir exercícios pendentes ou preparar-se para dormir.

Os alunos deverão ser apoiados pelos pais na criação de hábitos e métodos de estudo que visem o reforço e a consolidação de aprendizagens, desde a entrada no 1º ano de escolaridade. No momento da realização das atividades, manifeste todo o seu interesse (respeitando a autonomia do seu filho), de modo a que este compreenda que está atento e que valoriza a sua vida escolar.

 

5. Tornar o momento especial

Desempenhe tarefas parecidas às temáticas que o seu filho está a estudar. Enquanto ele faz contas, que tal rever o orçamento familiar? Evite fazer algo que pareça mais “interessante” para ele e opte pelo que é realmente importante estimular. Por vezes, as crianças têm dificuldade nalgumas matérias e facilidade noutras. Realize com o seu filho uma lista de habilidades e facilite o desenvolvimento de estímulos, seguindo os seus pontos fortes.

 

6. Ter a disposição em alta

Na hora do estudo, o seu filho precisa de se sentir bem. Não deve sentir cansaço ou fome nem estar irritado ou distraído. O melhor é preparar-se e satisfazer todas as necessidades antes do estudo.

Será importante ainda que, no regresso a casa, converse com ele sobre como correu o dia na escola (o que aprendeu, com quem brincou…). Mesmo que trabalhe muito, faça do pouco tempo que tem disponível um momento de convívio com o seu filho. Rebole no chão, faça poesias, brinque, sorria, solte-se, perturbe-o agradavelmente. “Prepare o seu filho para ‘ser’, pois o mundo o preparará para ‘ter’”, já dizia Augusto Cury (2006).

 

7. Valorizar os esforços do seu filho

Mostre que se interessa por aquilo que o seu filho está a estudar, mesmo que não conheça o conteúdo. Peça que lhe explique diariamente o que aprendeu de novo na escola. Ao questionar o seu educando sobre a vida escolar, ficará mais desperto para eventuais dificuldades que surjam e mostrará que está disposto a ajudá-lo/protegê-lo. No entanto, a família deve transmitir à criança que o seu amor é incondicional e não depende dos resultados escolares.

 

8. Incentivar à revisão da matéria lecionada na escola

É costume as crianças terem pressa e quererem terminar rapidamente as tarefas para poderem brincar. Partilhe com o seu filho a importância da revisão do que acabou de fazer, quer sejam contas ou textos. Se os TPC forem adequados, proporcionam ao seu educando hábitos de estudo que ficarão presentes no resto da escolaridade. Dão ainda à família a oportunidade de acompanhar a vida escolar da criança.

 

9. Ajudar sem dar as respostas

Se o seu filho tiver uma dúvida, ajude-o, mas não responda por ele! O melhor é dar dicas para que pense por si mesmo e chegue à sua própria conclusão.

É fundamental fomentar a autonomia e a sua responsabilidade enquanto aluno. As crianças devem interiorizar, desde cedo, que têm controlo sobre as suas aprendizagens e que o sucesso escolar depende, em grande parte, do seu esforço. Não é conveniente os pais “estudarem” pelos filhos. Devem, ao invés, orientá-los neste trabalho e auxiliá-los na descoberta das estratégias mais eficazes.

 

1o. Estimular, mas não ensinar

Desde o momento em que terminou os estudos, muito mudou. Assim, não tente ensinar o seu filho com os métodos que conhece, porque pode confundi-lo. Ensinar é tarefa do professor. Pode marcar uma reunião com o docente e perceber com ele como poderá ajudar a criança a estudar, sem comprometer a aprendizagem.

comunicação com o professor é essencial. A presença dos pais na escola ajuda o seu filho a construir a perceção de que esta é importante para a família e o sentimento de que, caso sinta necessidade, pode contar com a presença dos pais no meio escolar. Quando existe essa comunicação, os pais têm maior facilidade em estabelecer uma relação de confiança e um clima de cooperação com a escola.

 

 

 

(Visited 438 times, 1 visits today)

Sem comentários ainda.

Deixar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *